Indicação das variáveis da pesquisa (somente para pesquisa direta de campo)

Indicação das variáveis da pesquisa (somente para pesquisa direta de campo)

As variáveis a serem estudadas devem fazer parte de qualquer projeto de pesquisa desde o seu início. O papel principal da variável é estabelecer, objetivamente, o sucesso ou insucesso da hipótese da pesquisa. O item: VARIÁVEIS DE UMA PESQUISA deve ser dividido em três partes: a)variável primária; b) variáveis secundárias; c) dados complementares.

Para Lakatos e Marconi (2001), uma variável pode ser considerada como uma classificação ou medida, ou seja, um conceito operacional que apresenta valores, passível de mensuração.

As variáveis de pesquisa podem ser definidas como algo que varia, observável e quantificável — por exemplo: preconceito, aptidão física, força, resistência aeróbica, habilidade motora, sexo, idade, entre outros fatores.

Pode-se dizer, então, que a variável é uma propriedade à qual se atribui valor suscetível de alteração em caso específico e em situações particulares que ocorrem ao longo de uma pesquisa. Todas as variáveis que interferem no objeto que estará sendo estudado deverão ser controladas para não comprometer ou invalidar a pesquisa. A seguir, verifica-se os tipos de variáveis (somente para pesquisa de campo ou laboratorial) mais comumente encontradas em pesquisas na área de Educação Física.

A) Variável independente (I):

Pode ser caracterizada corno a variável que influencia, determina ou afeta outra variável. É o elemento que sofre a manipulação por parte do pesquisador no momento de estabelecer a relação do fator com o fenômeno observado, para verificar se este afeta as outras variáveis, interfere nelas ou exerce influência sobre os possíveis resultados do trabalho.

É uma condição, ou a causa, para um determinado efeito ou conseqüência. Em uma pesquisa experimental, é a variável manipulada pelo investigador para verificar que influência exerce sobre um possível resultado. A variável independente também poderá ser chamada de variável experimental ou de tratamento.

– B) Variável dependente (D):

É o elemento que será analisado e explicado em conseqüência da influência que sofre de outras variáveis, ou seja, é o fator que varia à medida que o pesquisador modifica a variável independente.

Pode ser considerado como o fator ou propriedade que é efeito, resulta do, conseqüência ou resposta de algo que foi estimulado. É o efeito observado corno resultado da manipulação da variável independente.

A variável dependente apresenta modificações em função da alteração da variável independente. Pode ser explicada como valor ou fato, considerada como efeito em determinadas hipóteses. É também chamada de variável de critério.

ATENÇÃO: A classificação de um aspecto investigado em uma das variáveis não é fixa. Em uma determinada pesquisa, uma variável pode ser dependente e, em outra, independente. É determinante para a classificação da variável a estruturação do problema central de pesquisa. Assim, uma variável poderá ser considerada dependente num estudo e independente em outro, e vice-versa.

Tal afirmação pode ser explicitada com os seguintes exemplos de problemas de pesquisa: “Qual é a influência da capacidade de força explosiva (Variável Independente) no desempenho dos atletas (Variável Dependente) de voleibol?” Em outra pesquisa, abordando os mesmos assuntos, a classificação das variáveis seria inversa, como “Qual a influência da prática de voleibol (Variável Independente) para o desempenho de força explosiva (Variável Dependente) nos membros inferiores dos atletas?” Dessa forma, mais uma vez, constata-se que a maneira como se elabora o problema é fundamental na determinação dos métodos e na estruturação de todo o trabalho científico; como se observa no exemplo dos problemas, relatados anteriormente, um fator pode ser uma variável independente (força) em um estudo e dependente em outro, de acordo com a formulação do problema.

– C) Variável Interveniente (IN):

Há um fator ou propriedade que teoricamente afeta o fenômeno observa do, porém não pode ser manipulado ou medido pelo pesquisador.

Esses fatores são variáveis que não podem ser consideradas como independentes, em razão de não serem passíveis de manipulação pelo pesquisador, mas podem influenciar os valores assumidos pelas variáveis dependentes. Essas variáveis podem prejudicar a relação causa-efeito entre variáveis independentes e dependentes, influenciando o resultado da pesquisa sem que o pesquisador consiga isolá-las para análise ou suprimir tais fatores intervenientes na pesquisa.

Conforme Lakatos e Marconi (2001, p. 150), “a variável interveniente é aquela que, numa seqüência causal, se coloca entre a variável independente (I) e a variável dependente (D), tendo a função de ampliar, anular ou diminuir a influência de I sobre D”, sem que o pesquisador domine sua influência nos resultados do estudo, como se observa no exemplo a seguir.

Problema de pesquisa: Quais são as contribuições, para a aprendizagem da leitura e da escrita, da construção de jogos e brincadeiras nas aulas de Educação Física?

Variáveis independentes (I): construção de jogos e brincadeiras Variáveis dependentes (D): aprendizagem da leitura e da escrita.

Variáveis intervenientes (IN): as aulas de alfabetização ministradas pela professora polivalente.

É necessário conhecer os limites da ciência e não tentar ir além dos recursos existentes. É preciso saber o que não pode ser objeto de pesquisas de cunho científico; de outra forma, não será possível respeitar as características básicas que determinam um conhecimento e pesquisa científica.

Texto adaptado da obra: MATTOS, M.G; ROSSETTO JÚNIOR, A.J; BLECHER, S.Teoria e prática da metodologia da pesquisa em educação física: construindo sua monografia, artigo científico e projeto de ação. São Paulo: Phorte, 2003.

 

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *