HABILIDADES E COMPETÊNCIAS DO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

Habilidades e Competências do Curso de Engenharia de Produção

Os objetivos do Curso de Engenharia de Produção, que a SETREM – Faculdade Três de Maio oferece a comunidade, são: – Formar profissionais com habilitação e capacitação técnica para desenvolverem atividades relacionadas à Engenharia de Produção, e também possam desempenhar funções gerenciais e de liderança administrativa em todos os níveis da organização; – Formar e preparar profissionais para enfrentar os desafios da atualidade; – Qualificar a setor da indústria regional, agregando valor à produção; O egresso do Curso de Engenharia de Produção da SETREM deverá possuir, além dos conhecimentos referentes a área, as seguintes habilidades e competências: – Compromisso com a ética profissional; – Iniciativa empreendedora; – Disposição para auto-aprendizado e educação continuada; – Comunicação oral e escrita; – Leitura, interpretação e expressão por meios gráficos; – Visão crítica de ordens de grandeza; – Domínio de técnicas computacionais; – Domínio de língua estrangeira; – Conhecimento da legislação pertinente; – Capacidade de trabalhar em equipes multidisciplinares; – Capacidade de identificar, modelar e resolver problemas; – Compreensão dos problemas administrativos, sócio-econômicos e do meio ambiente; -Responsabilidade social e ambiental; – Pensar e agir localmente e globalmente. – Buscar a capacitação humana e tecnológica para a construção do conhecimento.

Disponível em: http://www.setrem.com.br/193-habilidades-e-competencias Acesso em: 20 Set. 2013

Indicação das variáveis da pesquisa (somente para pesquisa direta de campo)

Indicação das variáveis da pesquisa (somente para pesquisa direta de campo)

As variáveis a serem estudadas devem fazer parte de qualquer projeto de pesquisa desde o seu início. O papel principal da variável é estabelecer, objetivamente, o sucesso ou insucesso da hipótese da pesquisa. O item: VARIÁVEIS DE UMA PESQUISA deve ser dividido em três partes: a)variável primária; b) variáveis secundárias; c) dados complementares.

Para Lakatos e Marconi (2001), uma variável pode ser considerada como uma classificação ou medida, ou seja, um conceito operacional que apresenta valores, passível de mensuração.

As variáveis de pesquisa podem ser definidas como algo que varia, observável e quantificável — por exemplo: preconceito, aptidão física, força, resistência aeróbica, habilidade motora, sexo, idade, entre outros fatores. Continue reading Indicação das variáveis da pesquisa (somente para pesquisa direta de campo)

Quer ser um engenheiro de sucesso? Seja um engenheiro criativo

Quer ser um engenheiro de sucesso? Seja um engenheiro criativo

Quer ser um engenheiro de sucesso? Seja um engenheiro criativo.

A criatividade é um conceito muito explorado no campo das artes. No mundo corporativo está intimamente associado a profissionais da publicidade, moda e design que trabalham diretamente com ela, utilizando-se dela disfarçada nas mais variadas vertentes nos campos do som e imagem.

Mas no geral, pouco se fala da importância da criatividade no trabalho de um engenheiro. A criatividade está associada à engenharia desde o princípio do desenvolvimento humano, quando os homens construíram seus primeiros instrumentos de caça com madeira, pedras e ossos. Continue reading Quer ser um engenheiro de sucesso? Seja um engenheiro criativo

Engenheiro, você se comunica bem?

A função dos engenheiros é produzir, de um modo geral, novas utilidades para as pessoas. A fim de atingir seus objetivos, o engenheiro deve estudar o problema, planejar a melhor forma para uma solução, analisar a viabilidade econômica e técnica e finalmente coordenar o desenvolvimento do projeto.

É conhecido de todos que no mundo e principalmente no Brasil, o mercado para engenheiros está fortemente aquecido. E também que, muitos acadêmicos não conseguem concluir sua graduação, principalmente pela falta das devidas e necessárias habilidades para com as ciências exatas.

Iniciam o curso objetivando “apenas” o seu retorno financeiro ‘pós-formado’, e, assim, desistem logo no(s) primeiro(s) semestre(s) do curso, pois apenas isso não basta para que consiga levar o desafio ao longo de cinco anos de graduação Continue reading Engenheiro, você se comunica bem?

Você sabe o que são as bases de dados científicas?

Quando iniciamos um trabalho acadêmico, sempre recebemos a indicação de pesquisarmos nas Bases de Dados. Contudo, ao longo de nossa formação universitária, pouco nos explicam sobre o que são Bases de Dados.

As Bases de Dados foram criadas com o propósito de disponibilizar, em um único site, centenas de revistas científicas, evitando o desperdício de tempo por parte do pesquisador.

De maneira simplificada, podemos dizer que as Bases de Dados são um local onde encontramos centenas de revistas científicas e os seus respectivos artigos, sem a necessidade de ficarmos navegando por diversos sites. É importante lembrar que todas as publicações disponíveis em Bases de Dados estão respaldadas por qualidade e originalidade, devido aos criteriosos processos de seleção.

 O texto acima e mais informações estão dosponíveis em:

http://bibliotecaucs.wordpress.com/2011/10/27/voce-sabe-o-que-sao-as-bases-de-dados-cientificas/  Acesso em: 19 Ago. 2013

Também, vejam o arquivo anexo: BASES DE DADOS

 

O QUE É PESQUISA?

O que é Pesquisa?

Para a pergunta em questão encontram-se as mais variadas respostas. De acordo com Ander-Egg (1978, p. 28), por exemplo, pesquisa trata-se de um

“procedimento reflexivo sistemático, controlado e crítico, que permite descobrir

novos fatos ou dados, relações ou leis, em qualquer campo do conhecimento.” No entanto, não haverá unanimidade de respostas para esta questão, e qualquer uma delas estará sempre relacionada com uma área de conhecimento específico. Sendo assim, não caberá aqui tentar apresentar uma resposta geral ou institucional oficial; no lugar disso, serão apresentados, em linhas gerais, como se faz pesquisa.

Pesquisador é aquele que utiliza de métodos consagrados de pesquisa. Trata-se também de quem, além de utilizar os métodos de sua área de domínio, tem bons conhecimentos a respeito das teorias científicas que sustentam a sua ciência. Um bom pesquisador em Engenharia, por exemplo, não deve possuir somente o domínio do cálculo e da construção de artefatos; para além das fronteiras das equações e produções materiais, ele deve ser um bom conhecedor da fundamentação teórica de sustentação de sua área. Os objetivos que o pesquisador propõe devem ser passíveis de serem alcançados e compatíveis com pelo menos parte do conhecimento existente, isto é, não devem ser divorciados do conhecimento previamente existente, sob o risco de não serem alcançados. Sendo assim, o pesquisador deverá preparar-se para as etapas da pesquisa que se seguem do planejamento e suas fases até a execução e posterior apresentação do resultado do que foi pesquisado, em nosso caso, a apresentação do trabalho monográfico. Para isso, um bom passo será entender sobre os tipos possíveis de pesquisa. (SIMÕES e MAIA, 2012, p. 12-13)

Simões, Eduardo; Maia, Renato Dourado. Manual para Normalização de Projetos de Pesquisa, Monografia e Trabalhos Científicos / Eduardo Simões; Renato

Dourado. — Montes Claros: FACIT, 2012. 103 p..

Professora Fr. Érica Queiroz.

Avaliação dos Cursos de Graduação

Avaliação dos Cursos de Graduação

O Inep conduz todo o sistema de avaliação de cursos superiores no País, produzindo indicadores e um sistema de informações que subsidia tanto o processo de regulamentação, exercido pelo MEC, como garante transparência dos dados sobre qualidade da educação superior a toda sociedade.

Os instrumentos que subsidiam a produção de indicadores de qualidade e os processos de avaliação de cursos desenvolvidos pelo Inep são o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) e as avaliações in loco realizadas pelas comissões de especialistas.

Participam do Enade alunos ingressantes e concluintes dos cursos avaliados, que fazem uma prova de formação geral e formação específica.

Disponível em: http://portal.inep.gov.br/superior-condicoesdeensino

Acesso em: 21 Jun 2013